Endometriose Cutânea

17/07/2012 00:00

Geralmente a endometriose cutânea ocorre em uma cicatriz cirúrgica de procedimentos abdominais ou pélvicos como: Laparoscopias e cesarianas. A incidência é maior em cicatriz cirúrgica umbilical.

A provável explicação é que durante o ato cirúrgico células endometriais se alojam no local da incisão e com o decorrer do tempo se desenvolvem.

Porém existem casos de endometriose cutanea espontânea, ou seja, em locais que anteriormente não houve incisões cirúrgicas. Nesses casos o tecido endometrial é transportado através de canais linfáticos e vasculares.

A endometriose cutanea se apresenta como um nódulo doloroso de crescimento lento, geralmente em uma cicatriz cirúrgica ou próxima a ela. Pode haver sangramento ou não que coincide com o período menstrual.

Esse nódulo pode se apresentar de cor castanha que lembra chocolate ou de cor azulada parecido com a cor de hematoma. Porém há registros onde o crescimento do nódulo se deu de forma rápida e sem dor.

 

 

 

 

 

 

 

Endometriose Cutânea de cicatriz umbilical

 

Pela endometriose cutânea se apresentar na maioria dos casos em cicatrizes cirúrgicas quase sempre elas são confundidas com hérnias incisional, granuloma de sutura ou abscesso, pois a endometriose cutânea não é bem reconhecida pelos cirurgiões gerais. 

O diagnóstico então só é feito após retirada e análise histopatológica. A cirurgia é simples com anestesia local. Porém se faz necessária uma investigação criteriosa a fim de descobrir a existência de endometriose em outras localidades, principalmente na área pélvica.

 

Pesquisa e Edição: Lívia Lorenzini Lazarini 

Publicação: Endometriose Brasil