Indução - Inseminação - FIV

12/06/2012 17:23

São muitos os motivos para infertilidade. 30% são de causa masculina, 30% de causa feminina, 30% de ambos e 10% de causa indeterminada.

Dentre as causas femininas para infertilidade temos a Endometriose

Porque a Endometriose causa infertilidade?

* Alterações anatômicas como: aderências, endometriomas e obstrução das trompas. 

* Influência dos hormônios no processo de ovulação e na implantação do embrião. 

* Hiperprolactinemia, excesso de produção do hormônio prolactina. 

* Alterações celulares responsáveis pela imunologia do organismo. 

* Interferência na receptividade endometrial: O endométrio sofre ação de substâncias produzida pela endometriose que atrapalham a implantação do embrião. 

* Pode interferir no desenvolvimento embrionário e aumentar a taxa de aborto. 

 

Indução de ovulação

Indicada quando a infertilidade está ligada a distúrbios de ovulação. A paciente usa medicação para estimular o ovário a produzir folículo onde é acompanhado por meio de ultrassonografia seriada. Quando o folículo e o endométrio atingir determinado diâmetro a ovulação é induzida administrando um hormônio. 36 horas depois a ovulação se inicia e neste período a paciente mantém relações.

Inseminação Artificial 
Na Inseminação é realizado todo processo de indução de ovulação. Aproximadamente 36 horas após a administração do hormônio para ovulação deve ocorrer a colocação dos espermatozóides no trato genital feminino.

Existem vários tipos de Inseminação Artificial, a mais utilizada é a inseminação intra-uterina. A diferença entre elas é o local onde o preparado de espermatozóides é depositado no trato genital feminino.

 

Fertilização in Vitro (FIV)

Na FIV a paciente recebe medicação para estimular a produção ovariana de forma que seja possível um número adequado de óvulos. Os folículos e endométrio são monitorados e medidos através de ultrassonografia seriada. Assim que os folículos atingem um tamanho específico a paciente toma uma medicação para que ocorra a maturação do óvulo e a aspiração dos folículos é marcada.

No dia da aspiração, a paciente é sedada e através de ultrassonografia com uma agulha especial conectada ao transdutor os folículos serão aspirados para obter os óvulos. Após a seleção e colocação dos óvulos na incubadora, uma amostra de sêmen é obtida e preparada para o processo de fertilização.

Na FIV “Clássica”, cerca de 100 a 500 mil espermatozóides são adicionados a cada prato com os óvulos e deixados por um período de 17 a 18 horas para o processo de fertilização.

Na ICSI (Injeção Intracitoplasmática de Espermatozóides) um único espermatozóide é colocado através de uma injeção dentro do citoplasma do óvulo. Essa técnica permite que homens com taxas de espermatozóides muito baixas, sem mobilidade possam ter sucesso em gerar filhos. A ICSI hoje está sendo utilizada em larga escala até mesmo nos casos onde não há alteração de espermatozóides.

A transferência de embriões é feita por volta do terceiro dia após a retirada de óvulos. Os embriões são colocados em um cateter plástico e introduzidos através do colo até o interior do útero onde são depositados. Após o procedimento, a paciente deve permanecer em repouso por um período de algumas horas na clínica e depois por cerca de 48 horas em casa.

 

 
Pesquisa e Edição: Lívia Lorenzini Lazarini
Publicação: Endometriose Brasil

 

Nosso email: contato@endometriosebrasil.com.br